Os 7 passos iniciais da Experiência do Usuário (UX design)

  • 23 de fevereiro de 2016
  • Dicas
No Comments

Princípio #1: UX é integradora

A experiência é composta de todos os pontos de contato e interação de um sistema maior, podemos traçar um fluxo, partindo do produto para a forma como as pessoas falam, como as pessoas o descobrem e principalmente como interagem com ele. Nem todas estas coisas são criadas da mesma maneira, mas todas podem ser concebidos para, em algum nível, serem designadas dessa forma.

Princípio #2: Usem, mas não falem de mim

Quando as pessoas estão vivendo uma grande experiência com o seu produto, elas raramente percebem o trabalho árduo que foi feito para fazer isso acontecer. Isto é como deveria ser… Como profissionais de UX, nosso trabalho é ser tão bem feito que as pessoas não falam ou se quer sabem sobre a gente.

Princípio #3: Em terra de Experiência, quem tem CONTEXTO é Rei

Em uma época em que é fácil criar produtos e conteúdo de forma rápida e sem muita preparação, quem compreender o contexto em que o que criamos será inserido nas vidas das pessoas, será bem sucedido. Descobrir esse contexto é a razão de os profissionais de UX sempre terem que fazer a pesquisa com o usuário com muita atenção.

Princípio #4: E a usabilidade é Rainha

Em um mundo onde o contexto fornece os aspectos sociais e o ambiente, a usabilidade será primordial. Os software estão ficando mais fáceis de usar. Aqueles com a melhor usabilidade vão ganhar a corrida. Isto significa que temos de mergulhar profundamente na psicologia do uso, do jogo, da adoção do produto e interação social para criar as melhores experiências.

destaque-principios-ux

Princípio #5: Projetar experiências é sobre controle

Uma das piores sensações é se sentir fora de controle, como se alguém tomasse as decisões por você. Quando as pessoas se sentem fora de controle, eles simplesmente não se sentem bem e tendem a abandonar o que estão fazendo. Porém, isso não significa que você não pode surpreender as pessoas ou fornecer o acaso, isso significa que os usuários precisam se sentir no controle e sentir que são capazes de dar o próximo passo.

Princípio #6: O Comportamento não é uniforme

Esqueça o papo de usuários específicos, nós não estamos mais lidando com indivíduos… Estamos lidando com aspectos sociais inteiros. Não estamos lidando com a forma como uma pessoa se comporta, mas com a forma como alguém se comporta dentro de uma paisagem em constante transição do público ao privado, onde cada situação e contexto afetam seu comportamento e sua percepção de mundo.

Princípio #7: Há uma diferença fundamental entre ser simples e simplificado

Simplicidade é muito mais do que o banal “menos é mais” gritado aos quatro ventos. Simplicidade não é sobre o quantidade; trata-se da clareza, eloquência e facilidade. Se as pessoas podem compreender ou usar algo com pouca dificuldade, mesmo que tenha sido um esforço hercúleo para torná-lo assim, você atingiu o ápice da simplicidade.

E aí! O que você achou desses princípios da UX? Você removeria algum ou acrescentaria outro? Deixe a sua dúvida ou sugestão aqui nos comentários!


Deixe um comentário

Comentários


Veja outras máterias interessantes